AdSense

<script async src=”//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js”></script> <ins class=”adsbygoogle” style=”display:block” data-ad-format=”fluid” data-ad-layout-key=”-fa+62+4i-ju+kl” data-ad-client=”ca-pub-2661121224460623″ data-ad-slot=”1922306598″></ins> <script> (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); </script>


Tenho uma amiga que, de vez em quando, solta essa frase: “Ser mãe é pagar a língua diariamente”. Fui prestando atenção ao meu dia a dia e percebi que ela está certa. Quer ver só?

NandaFerreira_20130608_PreviaTheo_019 (1)Situação 1: quando nossos filhos ainda são bebês de bochechas rosadas, a gente afirma, categoricamente, que eles só vão comer coisas saudáveis, nada de gorduras saturadas ou pratos prontos cheios de sódio e açúcar. E, pra completar, a gente ainda xinga “essas mães desnaturadas que dão esse tipo de coisa pra criança”. Aham.
Os anos passam. Faltando vinte minutos pro seu filho de 5 anos chegar da escola e almoçar, a babá avisa que não vem. O que você faz??

a) Atrasa o almoço dele para preparar algo saudável, mas mais trabalhoso e demorado;
b) Passa no drive thru do Mc Donalds e compra nuggets e batata;
c) Manda um miojo pro garoto.

No meu caso, pelo menos nas duas últimas vezes, a resposta foi uma variação de “b” e “c”. Mea culpa!

Situação 2: você está grávida e assiste aqueles programas do Discovery Home and Health o dia inteiro. Em um deles, uma super babá dá dicas de como fazer a criança dormir na própria cama. E mostra como não é nada saudável deixar o filho dormir na cama com o casal. Você logo pensa “mas é lógico! Absuuuurdo esses pais que dormem com um filho no meio!”. Os anos passam. Seu filho de 5 anos aparece no seu quarto, às 2 da manhã, todo cheio de xixi. Você:

a) Dá um banho, troca de roupa, troca a roupa de cama dele e coloca ele na própria cama.
b) Pensa “se eu der banho e ainda for trocar a roupa de cama dele, ele acorda de vez e ferrou tudo”. Daí, você limpa ele com lencinhos umedecidos, coloca outro pijama e enfia ele na sua cama.
c) Coloca uma cueca limpa nele, bota ele na sua cama e apaga a luz rápido pra ele não acabar de acordar. A limpeza fica para amanhã.

Bom…tenho que confessar que, na noite passada, rolou lencinho umedecido e minha cama. Estava frio…o pai do Theo estava viajando…eu tinha todas as desculpas do mundo! Quando estou com sono, não respondo pelos meus atos. Isso serve de justificativa??

Tirando a parte da brincadeira, acredito no equilíbrio. Um miojo muito de vez em quando não mata ninguém. Uma batata frita só no fim de semana, menos ainda. E dormir abraçadinho com os pais, em meio a um momento de maior carência, também não vai transformar seu filho em um pirralho mimado incorrigível.

Como diria a minha mãe, “nem tanto ao mar, nem tanto à terra”. Cada um sabe o filho que tem e as exceções que pode abrir.

É um exercício diário levar a vida com mais leveza. Não sou uma mãe perfeita, mas, também, sei que isso não existe. Como saber se estou acertando mais que errando?

O sorriso do meu filho é meu maior parâmetro!

😉

Andréa Werner (http://www.lagartavirapupa.com.br)


  1. maio 02, 2014

    Hello there! This is my first visit to your blog!


  2. abr 12, 2014

    I’m impressed, I must say. Rarely do I encounter a blog that’s both educative and interesting, and without a doubt, you have hit the nail on the head. The issue is something which too few folks are speaking intelligently about. I am very happy that I came across this in my hunt for something concerning this.

  3. alessandra risden

    jun 26, 2013

    Perfeitamente explicado… Imagine no meu caso que é um anjinho azul de 4 e uma fofurinha de 2 😀
    Tenho todas as desculpas do mundo, mas a gente tenta equilibrar como pode 😉 Beijo!!!

  4. malu Nunes

    jun 25, 2013

    Eu simplesmente adoro suas colocações, Andréa. Bjos,Malu Nunes.

© Espaco de mulher, 2013. Todos os direitos reservados. layout por sara silva subir