Meninas

Hoje o assunto é algo que deu o que falar nos últimos meses, a sexualidade explícita nas páginas do livro “50 tons de cinza” e que virou febre, principalmente, entre as mulheres. Por isso, fui atrás de uma especialista para ajudar a decifrar os segredos ‘escondidos’ – e ao mesmo tempo ‘escancarados’ – na história narrada pela autora inglesa Erika Leonard James. E atenção fãs, em breve, teremos uma adaptação para o cinema, que está sob o comando da roteirista Kelly Marcel.

50tons-30814 A trilogia, que já vendeu mais de 60 milhões de cópias em todo o mundo, foi considerada um “pornô para mulheres”. O enredo gira em torno do romance entre o casal Anastasia Steele, jovem e virgem, e Christian Grey, bilionário que sugere a ela que seja sua escrava sexual. Durante as páginas da trilogia, a história apresenta o jogo de poder e submissão que resulta dessa união. Grey já é considerado por muitos um dos personagens mais polêmicos da literatura atual por seus métodos sadomasoquistas.

Mas para fugir um pouco da abordagem que a mídia tem dado quase que diariamente, de explorar as práticas sexuais do livro, optei por um caminho paralelo e não menos importante: o medo que algumas mulheres têm de expor seu lado sexual aos companheiros e como lidar com isso, já que acaba se tornando um sofrimento disfarçado. Tanto é que ouvi muita gente dizer por aí que comprou capa plástica para o livro, assim ninguém saberia o que ela estava lendo.

Infelizmente, muitas dessas pessoas se privam de desfrutar os prazeres de uma relação a dois. Prova disso foi uma pesquisa realizada recentemente pelo C-date (www.cdate.com.br), site de relacionamento alemão voltado para encontros casuais. O levantamento feito com os usuários obteve um resultado surpreendente: 94% das pessoas ainda não realizaram todas as suas fantasias.

E quando perguntados sobre o tipo de sexo que desejam fazer ao menos uma vez na vida, o “sexo selvagem” saiu na frente com 43% dos votos. Em segundo lugar ficou o ménage à trois, com 38%. Na outra ponta ficaram swing com 16% e sadomasoquismo com 3%. O site ouviu 2.122 pessoas nesta pesquisa.

6-sexo-bebada

De acordo com outro estudo realizado com mil britânicos pela Lovehoney, a maior fabricante de brinquedos sexuais da região, a relação sexual deles melhorou em 2012. A pesquisa mostrou que o sexo ficou melhor para 75% da população e “Cinquenta Tons” foi responsável por aumentar o desejo entre os casais. Um quinto dos entrevistados disse que a obra fez com que as suas vidas sexuais ficassem mais quentes. Outras razões para essa melhora no sexo incluiu mais experimentação (55%), maior frequência (33%) e maior confiança (22%).

Então, para nos ajudar com esse assunto conversei com a terapeuta Dorli Kamkhagi, que possui um trabalho magnífico também para terapia de casais. Ela é doutora em psicologia clínica e também faz parte do Instituto de Psiquiatria (IPq) da Universidade de São Paulo (USP) na coordenação de Grupos de Maturidade. Confira abaixo a entrevista na íntegra.

– O que explica o sucesso de “50 tons de cinza” em todo o mundo?

O livro “50 tons de cinza” permitiu o acesso a toda uma fantasia e erotização da relação de submissão e perversão. Explico melhor, a autora conseguiu captar o momento em que vivemos no qual o “visual e as imagens” são muito fortes e importantes. Quando as pessoas voltam à leitura, elas ativam uma outra área que envolve imaginar, formar novas conexões de fantasias etc. E neste caso o tema trouxe à tona algo muito velado: “o também desejo de se viver uma relação de dependência sexual e ao mesmo tempo perversa, na qual o jogo maior é ser importante para o outro.  Aliás, todas as pessoas buscam isto de diferentes formas”.

Mas eu acredito que ‘esta volta à leitura’, principalmente no caso de uma trilogia, foi despertando o desejo do leitor, a vontade de saber o que vai acontecer e também se colocar no papel destes protagonistas. Ouvi discussões acaloradas e muito interessantes que foram despertadas pela leitura. Saímos um pouco de um registro visual para uma entrada no campo da imaginação, de um pensamento que faz outras conexões. Isto acaba por tornar o ‘romance’ num amante oculto, todo mundo andava com os seus ’50 tons’ em algum lugar , nem sempre à mostra. 

batom– Por que tantas mulheres têm receio de expor seus desejos sexuais?

Algumas  acham que os maridos esperam delas um papel marcado, fruto de uma relação na qual não se permite conversar e dizer dos desejos . Às vezes escuto paciente dizer que tem muita vontade de viver fantasias e se soltar com seu parceiro, mas fica com muito medo de que a parte afetiva fique comprometida, com o surgimento desta mulher sensual e sexual.

Talvez a nossa educação e certos medos – que foram passados por códigos velados – ainda deixem a mulher se sentindo, muitas vezes, dividida entre o sagrado e o profano. Sabemos que é possível estabelecer um bom relacionamento por meio de conversas, mas também é permitido ousar e sair dos papéis rígidos que nós mesmos acabamos por nos impor.

– Quais as suas dicas para uma mulher conservadora que deseja se libertar na cama?

O desejo e os prazeres não são somente direitos do homem. E se a mulher se permitir expressar esse lado  sexual sem pré-conceitos, também será possível aprender a lidar com os desejos por meio de diferentes expressões e códigos.

Muitas vezes carregamos sentimentos de dor e frustrações de relações passadas que acabam refletindo no contexto presente. O medo de não ser querida e aceita, por exemplo, também tira a liberdade e espontaneidade que são importantes neste lindo encontro de um casal.

Esse momento íntimos entre duas pessoas é um espaço para se comunicar sonhos, fantasias e vivenciar diferentes formas do acontecer da sexualidade. Mas para que isto ocorra é necessário que cada um possa sentir confiança, o que vai permitir a criatividade para aproveitar o momento.

– Há quem acabe se privando de curtir “a hora H” por preocupações  com celulite, gordurinhas etc. Como deixar isso de lado e se tornar uma mulher sensual sem encanações?

Vivemos num universo onde tudo parece perfeito, eu disse parece. Então, neste photoshop vital é como se não houvesse um lugar para mulheres “normais e humanas”, e com uma beleza temporal, ou seja, temos marcas, rugas, corpos que não são perfeitos etc. No entanto, esse momento entre  casal pode e deve ser vivido com muito prazer e sexualidade.

Algumas mulheres ficam presas a estes modelos de perfeição que realmente não existem e perdem a oportunidade de receberem do outro o amor, a sexualidade, enfim, o desejo. O verdadeiro  “tesão” está longe deste mito da perfeição, deste ser maravilhoso que nos afasta de nós mesmos.

Talvez seja preciso que a mulher aprenda a valorizar os pequenos detalhes, como o seu lindo cheiro, a textura de sua pele, o seu toque, o tom da voz etc. Estamos falando de sensações que são aquilo que verdadeiramente nos dão prazer e permitem que os outros nos desejem. Acredito que haja uma necessidade de se trabalhar um pouco mais a verdadeira auto-estima e não este ideal do “Eu” que a mídia e a sociedade nos impõem.

 – Qual o caminho para manter o casal sempre conectado e com a chama acesa?

Manter a chama acessa no dia a dia é bem difícil, mas o livro “50 tons” ajudou muito nisso. Deixar o dia a dia sem brilho acaba por também formar um espaço de isolamento e solidão entre os casais. Sim, é preciso tentar recriar a conjugalidade com um pouco de dedicação, espaço de viver estas fantasias, namorar, sair do esquema que a rotina nos encarcera.

Penso que se fosse possível criar brechas e deixar o papel de marido, esposa, pai e mãe, e viver um pouquinho o de “amantes”, inúmeros canais afetivos seriam abertos.  Consequentemente, muitos relacionamentos poderiam ser melhor estruturados. Seria bom deixarmos os papéis e funções de lado às vezes. Sonhar é preciso , mas viver também o é.

– E as preliminares, onde começam?

Normalmente, as preliminares começam muito antes do próprio encontro sexual. Isso pode acontecer a partir de um encontro do olhar, uma fala, um gesto, enfim, todo um território que se abre neste novo encontro. As pessoas se conhecem e podem ficar um longo tempo se curtindo, trabalhando juntos e até desenvolver uma longa amizade para que o vínculo possa se estabelecer. Enquanto isso as fantasias podem rolar soltas e seguir por um longo tempo. É um constante jogo de conquista, feito dos pequenos detalhes.

– Há ainda aqueles homens que não costumam demonstrar sentimento e, com essa postura, inibem a parceira. Como agir nesses casos?

Muitas mulheres sentem medo da reação masculina e ficam muito presas ao que o “outro ‘ vai pensar ou dizer se eu tiver uma atitude mais espontânea. Isto não é somente no âmbito sexual. Também em outras instâncias a parceria é anulada pelo medo de saber que o outro pode ter o poder. Será que esta também não é uma forma “perversa” de relação? Pois alguém fica preso no outro e se sente subjugada e sem saída. Será esta uma escolha ou algo a ser trabalhado? Por que escolhemos parceiros que nos dão medo, pavor? Importante pensarmos.

1242-300

Ok, “50 tons” talvez seja algo digno de Christian Grey, mas você também pode encontrar a tonalidade, ou melhor, a temperatura ideal para o seu relacionamento. E não vale pensar que isso depende do seu companheiro, afinal, você também pode ajudá-lo a se tornar um “Christian Grey”. Para ter um bom momento a dois é ideal que os dois participem, e se divirtam, juntos.

Por isso, Dorli reuniu 11 “toques especiais” que vão te ajudar a fazer a diferença na hora H. Pense, reflita e dê adeus a timidez…. Viva sem medo de ser feliz e faça tudo lembrando do famoso mantra “Carpe Diem” (aproveite o momento):

1- Acredite que sexo é muito bom
2- Todos nós temos direito a ter prazer
3- O nosso corpo é algo que vamos descobrindo ao longo de nossa vida
4- Ninguém nasce pronto e/ou sabe tudo para viver uma sexualidade. Aliás, ela é fruto de uma construção
5- Conheço mulheres/homens que foram se tornando mais sensuais a medida que ficaram mais velhos
6- Olhe para você, de verdade, e saiba que cada encontro é único
7- A vida sexual é algo psíquico, emocional, social e, sem dúvida, químico
8- Você é a artista de “sua história”
9- Não existe certo ou errado se respeitamos os nossos limites e o dos outros
10- Sempre temos uma nova chance de descontruir “os nossos medos e mitos”
11- Seja feliz!!!!!

Fotos: reprodução

  1. Rebeca

    mar 02, 2013

    Dorly , adorei sua entrevista. Concordo plenamente em tudo .Li a trilogia e adorei! Que diz que o livro não presta é porque tem certos problemas…

  2. esther sassoun

    mar 01, 2013

    otimo.vmos praticar.bjos esther

  3. flora

    mar 01, 2013

    Querida Dorli, você é TOP, adorei !!! bjjjss

© Espaco de mulher, 2013. Todos os direitos reservados. layout por sara silva subir